domingo, 17 de maio de 2009

Meias de lama


Depois da chuva, a rua era inundada de oceanos.
Imensos oceanos.
Assim que secavam as nuvens
e antes que secassem as poças d´agua, a “malta” assaltava as carpintarias, à procura de restos de madeira, ainda não feita em serradura…
Com isso, alguns pregos já sem uso e umas boas marteladas nos polegares, se construíram os mais fabulosos navios.
.......................................................
Aportámos em ilhas desertas!
Lutámos contra os mais ferozes piratas!
Vencemos as mais perigosas tempestades!
Tivemos autênticas batalhas navais, dignas de Sir Francis Drake!
.............................................................
Oceanos imensos, os da minha rua.
.............................................................
No fim da tarde lá recolhíamos a casa, com meias de lama, prontos para o ralhete…

9 comentários:

LUA DE LOBOS disse...

pois e eu com mais uma malta fixe saltavamos nas poças, fazendo lerques de lama e agua da chuva... mas não eramos pequenos...
vergomha das vergonhas... tinhamos para aí uns 16 anitos :::))
e o ralhete era de mães escandalizadas para filhos que já tinham idade para ter juizo!!!
achavam elas ::))

francisco disse...

Um dia o meu barco naufragou e não se salvou ninguém.

Mena G disse...

Era o Titanic!!!
;)

Maria de Fátima disse...

delicioso
vai ler no tristeabsurda e verás que vais achar piada

Nilson Barcelli disse...

Querida amiga, com textos como estes os teus excelentes desenhos só ficam valorizados.
Fizeste-me regressar à infância... mas os melhores barcos de competição eram feitos de cascas de pinheiro...
Bom fim de semana.
Beijo.

Mena G disse...

Nilson, está mais que provado que a criançada tem imaginação e usa o que tem à mão!
;)

sotavento disse...

Estão cada vez "mais bons", os teus rabiscos contados!... :)

Maria, Simplesmente disse...

Oh!... Mena G...
Quem ensinaria à malta de outros tempos que, apesar dos ralhetes, isto era vida?...
Quem ensinaria como se faziam barcos dessa maneira... cavalinhos de cabo de vassoura... sapatos de salto alto com carrinhos de linha que nos tornavam tão elegantes, sem pensar que iríamos ficar horas parados frente a uma televisão ou a um computador a ver o jogo do clube da nossa eleição, perder ou ganhar, frente a um ecrã de vidro?
A verdade é que não sou só eu que penso assim, por vezes surpreende-me ouvis gente "jovem" ter saudades de tempos passados.
A malta das "nossas ruas", por onde andará agora?...
Beijos
Maria

Nilson Barcelli disse...

Querida amiga, uma excelente semana para ti.
Beijo.